Posts recentes

Os impactos dos conflitos internos nas organizações

Indiscutivelmente sabemos que os conflitos internos originam-se por inúmeras causas gerando seus impactos. Diferentemente do que pensávamos, nem todo conflito possui um  caráter ou viés negativo, entretanto, estamos nos referindo aqui a alguns fatores e seus respectivos reflexos nos conflitos organizacionais.

Em uma pesquisa recém conduzida pela ABRH SP, perguntamos a opinião do público de RH sobre quais fatores mais geram conflitos Internos em suas organizações. Dos fatores apontados, aqueles que, na opinião dos respondentes,  provocam maior impacto nos conflitos interno são:

  • Tomada de decisão lenta ou decisões equivocadas;
  • Falta de diálogo entre as partes ou áreas;
  • Queda na qualidade do clima organizacional / engajamento;
  • Perda de Produtividade;
  • Perda de Talentos.

Entendendo que a falta de diálogo entre as partes ou áreas trata-se de uma causa, mas também é uma consequência  do conflito,  assim como a perda de produtividade e de talentos, também podem ser consequência direta da falta de diálogo entre as áreas, percebemos que vários fatores podem estar interligados quando falamos de conflitos.

Outro fator que foi pesquisado é quanto os conflitos podem ter impacto no turnover das organizações pesquisadas. Questionamos se suas empresas estavam  dentro, acima ou abaixo da média de mercado em termos de turnover. Focamos nossas análises para as resposta que estavam acima da média de mercado e concluímos que mais de 50% alegam uma correlação direta do turnover alto aos conflitos internos.

Clima organizacional e produtividade.

A pesquisa apontou que mais de 70% das respostas obtidas apontam a existência de conflitos em suas organizações:  “frequentemente” ou “Sempre”.

Combinamos estes resultados com a relevância do fator “Cultura e Clima Organizacional” nas organizações e concluímos que, dentro de uma escala de uma a quatro, onde um representa baixo impacto e quatro aponta uma alto impacto, as respostas atingiram a média superior a “três”, correspondente  a um alto impacto (veja o gráfico abaixo).

Quando comparamos a frequência do conflito “frequentemente” ou “sempre”, este é um fator mais expressivo da Cultura Organizacional em outras palavras, existe uma correlação direta da Cultura com a frequência de conflitos. Este fator só não é mais elevado do que o fator Falhas de Comunicação que foi o mais apontado na pesquisa.

A pesquisa realizada contou com mais de duzentas respostas validadas, sendo que mais de dois terços dos respondentes  composta por profissionais de RH, o que gera alta credibilidade tanto numérica como pela fonte pesquisada.

Das inúmeras conclusões  possíveis decorrentes da pesquisa, entendemos que a existência  de conflitos é uma constante em todas as organizações, entretanto,  em diferentes frequências e por diferentes motivos. A forma como são tratados é que realmente pode trazer bons resultados ou desagradáveis consequências.

Como consultor de Recursos Humanos, recomendamos às empresas aprenderem a conviver os conflitos insolúveis e principalmente a aproveitarem opiniões divergentes dentro de suas estruturas na hora de resolver problemas e, principalmente como uma fonte de gerar inovação.

 

Carlos Prado

Consultor RH e Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas FIA – USP.

 

 

 

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: